Blog Centric System

06
mar

Exploit: melhores práticas para se proteger deste tipo de ataque

Categoria: Sem categoria
Exploit

No último artigo aqui do nosso blog, nós demos uma boa introdução sobre o Exploit e como ele funciona, bem como faz para atacar redes corporativas. Para “esfriar a memória”, é um tipo de malware que criptografa informações privadas e exige o pagamento, a fim de descriptografá-los: pense que você tem um browser e existe uma vulnerabilidade que permite um “código arbitrário” ser executado – por exemplo, baixar e instalar um programa malicioso – em seu sistema sem seu conhecimento. Na maioria das vezes, o primeiro passo para os hackers está nesta tentativa de permissão de acesso, e é aí que tudo começa.

Bom, caso você tenha dúvidas sobre o que é um Exploit, basta ler nossa matéria anterior, mas mais importante do que saber como ela funciona é saber o que podemos fazer para nos proteger dela, afinal, não é novidade que o acervo informacional de uma empresa é seu bem mais precioso, portanto, não podemos abrir nenhuma brecha. Então, vamos lá!

Antes de tudo, é importante ressaltar que (segundo estudos), normalmente, os cibercriminosos dão preferência ao uso de exploits como método de infecção propriamente dita ao invés de SPAM (engenharia social). Além disso, há duas maneiras de ativar os exploits: ao visitar sites inseguros com códigos maliciosos e/ou ao abrir um arquivo aparentemente legítimo que possui um código oculto (mais conhecidos como SPAM ou e-mails de phishing – a famosa “pesca” de dados).

Outro ponto importante, é que os Exploits são normalmente projetados para atacar versões específicas de software que contém vulnerabilidades, ou seja, a ameaça é acionada caso o usuário tenha a versão certa do software para abrir a mesma. Uma vez que isso acontece, o exploit carrega um malware adicional que realiza atividades maliciosas como o roubo de dados.

Existem alguns métodos tradicionais com os quais a grande maioria já está acostumada para garantir a prevenção contra ameaças deste tipo, porém nenhum deles é específico para proteção contra o Exploit, são eles: utilizar um antivirus, bloquear o spam, utilizar uma solução sandboxing, bloquear extensões de arquivos arriscados, utilizar senha para proteger os arquivos, filtros de UTL, HTTPS e afins.

É muito importante que se pratique todos esses métodos que citamos acima, porém, mais do que isso, se a sua empresa deseja estar integralmente protegida contra esse tipo de ataque é importante contar com uma solução desenvolvida especificamente para combatê-lo, e, uma solução com esta finalidade, precisa contar com alguns recursos exclusivos, são eles:

Proteção de perímetro a fim de melhorar o desempenho do firewall corporativo, bem como segurança e controle.

Proteção WEB a fim de obter controle e insights, de maneira eficaz, acessível e fácil.

Proteção de e-mail a fim de anular os riscos vinculados à ameaças de e-mail e ataques de phishing.

Proteção de wireless a fim de obter uma conexão Wi-Fi de maneira mais simples e segura.

Proteção de endpoint a fim de prevenir, detectar, investigar e corrigir ameaças ao endpoint, seja PC ou Mac.

Proteção de dispositivos móveis a fim de proteger smartphones e tablets exatamente como outro endpoint.

Proteção de dados a fim de prover criptografia simples de usar para uma linha altamente eficaz de defesa contra a perda de dados.

Proteção de servidores a fim de uma proteção otimizada para o ambiente de servidor (seja físico ou virtual).

Dentre os produtos comercializados com a proposta de evitar ataques Exploits em redes corporativas, o que indicamos de olhos fechados é o Intercept-X, devido tanto à nossa experiência quanto à experiência de nossos clientes. A solução é altamente avançada em termos de eficiência e inovação, e pode ser utilizada por empresas de qualquer porte e segmento para evitar este ataque que está cada vez mais em alta.

Proteja-se

Converse com um consultor para encontrar essa solução e saber como ela pode ser implantada na sua empresa.

Fale conosco
Voltar ao blog